Viva Nossa Senhora de Guadalupe

Nossa Senhora de Guadalupe apareceu pela primeira vez ao índio asteca Juan Diego. Na língua asteca, o nome Guadalupe significa, Perfeitíssima Virgem que esmaga a deusa de pedra. Os Astecas adoravam a deusa Quetzalcoltl, uma monstruosa deusa, a quem eram oferecidas vidas humanas em holocausto.

Nossa Senhora de Guadalupe, porém, veio para acabar com essa idolatria e mudar a vida daquele povo sofrido. No ano de 1539, mais de 8 milhões de Astecas tinham abraçado a fé católica, convertendo-se e acabando com a idolatria pagã. No México e em todo o mundo, Nossa Senhora de Guadalupe é muito venerada.

A aparição de Nossa Senhora de Guadalupe

Estava o índio Juan Diego no campo. Ele sofria por causa da grava enfermidade de seu tio a quem muito amava. Juan rezava por seu tio quando teve a visão de uma mulher com seu manto todo reluzente. Ela o chamou por seu nome e disse em nauátle, a língua asteca: Juan Diego, não deixe o seu coração perturbado. Eu não estou aqui? Não temas esta enfermidade ou angústia. Eu não sou sua Mãe? Você não esta sob minha proteção?

A Senhora pediu, então, que o índio fosse revelar sua mensagem ao Bispo local. A mensagem de que Ela iria acabar com a serpente de pedra, e que o povo do México iria parar com os holocaustos e se converter a Jesus Cristo. Além disso, deveria ser construída uma Igreja no local das aparições.

O Milagre de Nossa Senhora de Guadalupe

O Bispo não acreditou no índio, mas ordenou que ele pedisse um sinal à Senhora para provar a veracidade da história. Quando Juan Diego voltou para o campo, Nossa Senhora de Guadalupe apareceu novamente a ele. Este lhe contou sobre a desconfiança do Bispo, porque Maria tinha pedido que fosse construída também uma grande igreja naquele local.

Maria sorrindo, pediu a Juan Diego que subisse ao monte e enchesse seu poncho com flores. Era inverno. A neve recobria os campos. Naquela época, não nasciam flores naquela região do México. Juan Diego sabia disso. Porém, mesmo assim obedeceu. Chegando ao alto do monte em meio à neve, ele achou uma grande quantidade de flores cheias de grande beleza. Ele apanhou muitas flores, encheu seu poncho e foi levá-las ao Bispo.

O Segundo Milagre

Com dificuldade Juan Diego foi recebido pelo Bispo. Ele tinha seu poncho ou sua Tilma, dobrado cheio de rosas. Então, ele abriu a tilma e as flores caíram no chão. Quando o Bispo viu, ainda não acreditou. Então, para espanto de todos os que estavam na sala, no poncho do índio estava estampada a bela imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, como o índio tinha revelado ao Bispo. Todos na sala acreditaram, inclusive o bispo. Desse momento em diante, tudo mudou.

O fato causou grande comoção em todo o povo mexicano. Logo foi construída uma grande Igreja no local indicado por Nossa Senhora e o poncho de Juan Diego com a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe impressa foi levado para ser venerado. Guadalupe se tornou o grande Santuário do México, e a devoção a Nossa Senhora de Guadalupe se estendeu por toda América Latina. Em 1979, o Papa João Paulo II consagrou Nossa Senhora de Guadalupe, como Padroeira da América Latina.

Estudos sobre o poncho

Estudos realizados sobre o poncho do índio Juan Diego, revelam que a pintura não foi feita por materiais existentes na natureza e nem fabricados pelo homem. Nos olhos de Maria, dentro da Iris e da pupila, vê-se a cena em que o índio abre sua tilma na sala do bispo, com todas as pessoas presentes na sala conforme foi descrito em documentos posteriores. Tem uma família de um lado, o índio e o Bispo do outro. O olho reflete a luz como o olho humano.

Em janeiro de 2001, o engenheiro peruano, José Aste Tonsmman, revelou o resultado da pesquisa de 20 anos, com a ajuda da NASA. Os olhos da imagem ampliados 2,500 vezes, mostram umas 13 pessoas, crianças, mulheres, o Bispo e o próprio índio Juan Diego, no momento da entrega do poncho ao Bispo.

Richard Kuhn, prêmio Nobel de química, descobriu que a imagem não tem corantes e que após 470 anos continuam com seu brilho. O pano do poncho não dura mais do que 20 anos e começa a se desfazer, o que não acontece com o poncho do milagre, que já dura quase 500 anos. Concluíram que o que forma a imagem de Nossa Senhora não é pintura. A fibra do ayate, cacto, são suportaria as tintas da época. Além disso, não existe esboço ou marca de pincel.

Milagres de Nossa Senhora de Guadalupe

Grandes milagres aconteceram ao longo dos quinhentos anos de história da aparição de Nossa Senhora de Guadalupe. O povo sofrido do México teve sua esperança renovada com esta visita e permanência de Nossa Senhora em suas terras.

Imagem de Nossa Senhora de Guadalupe

Nossa Senhora, em um ato de delicadeza, apareceu como uma índia, morena, vestida como uma índia grávida. Em sua roupa está retratado o céu com a posição das estrelas do dia em que ela apareceu. Os astecas sabiam reconhecer estes sinais e isso foi decisivo para que a conversão daqueles povos acontecesse em massa.

Oração a Nossa Senhora de Guadalupe

Perfeita, sempre Virgem Santa Maria, Mãe do verdadeiro Deus, por quem se vive. Mãe das Américas! Tu que na verdade és nossa mãe compassiva, te buscamos e te clamamos. Escuta com piedade nosso pranto, nossas tristezas. Cura nossas penas, nossas misérias e dores. Tu que és nossa doce e amorosa Mãe, acolhe-nos no aconchego de teu manto, no carinho de teus braços. Que nada nos aflige nem perturbe nosso coração. Mostra-nos e manifesta-nos a teu amado filho, para que Nele e com Ele encontremos nossa salvação e a salvação do mundo. Santíssima Virgem Maria de Guadalupe, faz-nos mensageiros teus, mensageiros da vontade e da palavra de Deus. Amem.

Anúncios

Higienização de ordenhadeiras garante qualidade do leite

Por Ana Carolina Amorim

Empresa mineira oferece linha específica para limpeza e desinfecção dos equipamentos

Considerada uma das atividades rurais mais importantes no país, a produção de leite brasileira tem ganhado destaque mundial nos últimos anos. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil ocupa o 4º lugar no ranking mundial de produção leiteira.

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada em março de 2018, aponta que a produção nacional de leite em 2017 aumentou 4,1% em relação ao ano anterior, o que resultou em 24,1 bilhões de litros.

De acordo com o site Milk Point , o maior portal do leite do país, Minas Gerais é o estado considerado o maior produtor leiteiro do Brasil, respondendo por 24,8% da captação em 2017. A matéria foi elaborada com base nos dados do IBGE.

Sabendo da importância do setor para a economia brasileira e com o objetivo de reduzir o custo de produção e facilitar a limpeza, a Start desenvolveu uma linha exclusiva de produtos para a higienização dos equipamentos, ordenhas e tanques de refrigeração de leite.

“No intervalo entre as ordenhas, microrganismos podem se desenvolver nas superfícies de equipamentos que entrarão em contato com o leite e, caso não sejam adequadamente sanitizados, podem comprometer a qualidade do alimento. Evitar a proliferação dessas bactérias é o primeiro passo para assegurar uma boa produção leiteira”, afirma Fábio Pergher, presidente da empresa.

Além da higienização dos equipamentos, a limpeza adequada dos tetos também é fundamental para evitar infecções mamárias e garantir a retirada de leite com qualidade. “Há uma linha específica à base de iodo para a sanitização dos tetos, evitando a proliferação de bactérias como Salmonella Cholereasuis, Escherichia coli e Staphylococcus Aureus, que asseguram desinfecção da área e garantem a qualidade do leite”, finaliza Pergher.

Fonte: Prelo Comunicação

Empresa do transporte coletivo adere ao Outubro Rosa

Por Ana Carolina Amorim

Ônibus cor de rosa visa alertar as mulheres sobre a importância do autoexame

Em outubro, tudo se torna rosa para conscientizar sobre o câncer de mama. A Transporte Urbano São Miguel, com apoio da Prefeitura Municipal, levou para as ruas de Uberlândia um ônibus com o objetivo de conscientizar o maior número de pessoas sobre esse, que é um dos tipos de cânceres que mais mata no mundo.

Neste ano, quase 60 mil novos casos de câncer de mama são esperados, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Este, é o  tipo mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, mas acomete, também, homens, representando apenas 1% do total de casos da doença.

A empresa do transporte coletivo, São Miguel, com o intuito de chamar a atenção das pessoas sobre a importância de fazer o autoexame, bem como outros exames de rastreio, envelopou um ônibus articulado na cor rosa. O veículo fará trajetos da linha T 120.

Segundo o gerente operacional da empresa, André Duarte, a diretoria anseia por esta campanha há muito tempo. “Estamos muito felizes em realizar essa ação em parceria com a Prefeitura Municipal de Uberlândia. Nosso objetivo é despertar a atenção das mulheres para este tema, que é tão importante”, disse.

Além do ônibus na cor rosa, a São Miguel promove, também, uma ação interna na empresa, visando chamar a atenção das colaboradoras para que elas possam cuidar de sua saúde. “Se uma única mulher vir o ônibus na rua e lembrar de se auto examinar, essa simples ação já terá cumprido sua função”, finaliza Duarte.

Fonte: Prelo Comunicação

Dia Mundial do Idoso: médico fala sobre cuidados com a saúde na terceira idade

Por Ana Carolina Amorim

Comemorado anualmente em 1º de outubro, o Dia Mundial do Idoso tem o objetivo de informar a sociedade sobre o envelhecimento e alertar sobre a importância de proteger e cuidar dos idosos.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população idosa não para de aumentar. No Brasil, esse número cresceu 18% nos últimos cinco anos e em 2017 o número de idosos ultrapassou os 30 milhões. Dado que tende a dobrar nos próximos 20 anos.

Organização das Nações Unidas (ONU) estima que até 2050 o número de idosos será maior que o número de pessoas jovens, nos países mais desenvolvidos. Ainda segundo a Organização, envelhecer bem deve ser uma prioridade global, já que haverá mais idosos no planeta que crianças menores que 15 anos. A expectativa é que em 32 anos sejam aproximadamente dois bilhões de idosos no mundo.

Para o geriatra do Hospital Santa Genoveva, Marcos Alvinair Gomes, a terceira idade se caracteriza por uma conjunção complexa de vivências anteriores, positivas e negativas, que nos oferece a possibilidade da maturidade com sabedoria e uma independência de podermos escolher o quê, quando e com quem e trazer essa reflexão é de extrema importância, uma vez que é uma ação preventiva no que tange a qualidade de vida.  “Para podermos usufruir dessa suposta autonomia é importante que façamos investimentos permanentes nos cuidados com nosso corpo e com nossa mente. Um controle adequado dos hábitos como alimentação, atividade física, sono adequado, combate aos vícios como tabagismo e alcoolismo, controle de doenças crônicas como obesidade, diabetes, hipertensão, artrose, osteoporose entre outras, nos favorece a manutenção de uma melhor autonomia nas atividades de vida diária”, disse.

Segundo o médico, as doenças mais comuns aos idosos são as doenças psicossomáticas e as doenças crônico-degenerativas. “As mais citadas são a depressão, ansiedade e as doenças cardiocirculatórias, as artroses, a osteoporose e os cânceres em geral. As infecções como a broncopneumonia e as infecções do trato urinário são freqüentes nas causas de mortalidade nessa faixa etária”, completa.

Alvinair ainda afirma que os novos conhecimentos sobre os mecanismos fisiopatológicos do envelhecimento têm possibilitado interferir desde as idades mais jovens na forma e na velocidade em que ocorrem os fenômenos de degeneração celular. “Assim, podemos aperfeiçoar o controle de tendências genéticas à obstrução dos vasos sanguíneos a partir de hábitos saudáveis aplicáveis já na infância. Podemos minimizar a indução ao surgimento de células cancerosas interferindo na exposição a fatores promotores do câncer, como os raios ultravioletas ou o abuso de reposição hormonal. Podemos efetuar a prevenção do câncer nos grupos de risco como famílias com alta prevalência de câncer de mama, próstata ou intestino, dentre outras. Para os pacientes já adoentados a medicina atual provê recursos curativos e/ou paliativos, favorecendo em nível terciário a manutenção da vida mesmo em situações críticas como nos casos de isquemia coronariana, isquemia cerebral ou doenças malignas em geral”, finaliza.

Fonte: Prelo Comunicação

Você sabe o que é sepse?

Por Ana Carolina Amorim

Comemorado anualmente em 13 de setembro, o Dia Mundial da Sepse tem o objetivo de alertar e informar sobre uma das doenças que mais mata no país. Conhecida antigamente como septicemia ou infecção no sangue, a sepse é uma resposta desregulada a uma infecção,  levando a disfunção de órgãos.

Segundo o Instituto Latino Americano de Sepse (ILAS), essa doença é uma das principais causadoras de custos em hospitais públicos e privados no país.  Estima-se que no Brasil ocorra cerca de 400 mil casos por ano, com mais de 240 mil óbitos.

Para a infectologista e coordenadora do Serviço de Controle de Infecções Hospitalares do Hospital Santa Genoveva, Astrídia Fontes, a sepse, em estágios iniciais, pode ser confundida com outras doenças. “Se detectada tardiamente, os sintomas podem se agravar e levar à disfunção múltipla de órgãos e, consequentemente, à morte”, disse.

Ainda de acordo com o ILAS, pesquisas do Instituto apontam que 30 a 40% dos casos confirmados de Sepse acontecem em hospitais. Porém, cerca de 60 a 70% das pessoas desenvolvem a doença depois de serem contaminadas por vírus e bactérias, fora do ambiente hospitalar. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que ocorram 31 milhões de casos por ano, dos quais seis milhões chegam ao óbito.

“É preciso ressaltar que a Sepse é um problema de saúde mundial e, quando diagnosticada precocemente pode ter resposta rápida, por exemplo, com o uso de antibiótico adequado. Ela pode ser evitada com a rotina de higiene adequada das mãos e, também, com vacinas, que é uma das formas de prevenção”, finaliza a médica.

Fonte: Prelo Comunicação

Setembro Amarelo: uma campanha a favor da vida

Por Ana Carolina Amorim

Assunto pouco discutido, o aumento de tentativas do autoextermínio chama a atenção de especialistas. A meta da OMS é reduzir em 10% a mortalidade por suicídio até 2020.

O mês de setembro marca a luta contra um problema de saúde mundial considerado grave: o suicídio. Por vários anos evitava-se falar sobre isso. Era um assunto rodeado de tabus, o que não permitia enxergar quem estava mais vulnerável. A Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) alerta que o suicídio é responsável por uma morte a cada 40 segundos no mundo e é a segunda principal causa de morte entre as pessoas de 15 a 29 anos de idade.

Segundo dados da  Organização das Nações Unidas (ONU),mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio a cada ano. Desse número, aproximadamente 65 mil casos acontecem anualmente em todo o continente americano.

No Brasil, de acordo com a  cartilha do Ministério da Saúde, cerca de 11 mil pessoas tiram a própria vida por ano. Confirmando essa estatística, o Hospital Santa Genoveva chegou a atender oito casos de pacientes que tentaram tirar a própria vida no ano de 2017 e, neste ano, de janeiro até o mês de agosto, já foram seis casos. Esses números foram apurados por meio de registros do serviço social do Hospital.

As causas mais comuns são em decorrência de transtornos mentais, como esquizofrenia e bipolaridade, bem como dependência química, alcoolismo e depressão. Mas, quando há mais de um transtorno associado, o risco de tentar contra a própria vida é maior. Para a psiquiatra do Hospital Santa Genoveva, Ana Carolina Chaves Alucio, ter pensamentos de morte como única saída frente a algumas situações de dor ou impotência extrema, é comum ao ser humano, mas definir se o fará ou não, envolve uma série de fatores biológicos, emocionais, culturais, filosóficos e religiosos. “É difícil definir o que leva uma pessoa a se matar. Acredito que não haja uma única causa, mas um conjunto de fatores que leva o indivíduo ao ato. Estudos sugerem que 90% das vítimas de suicídio tinham alguma doença mental, o que pode não ser determinante, mas expõe a pessoa a uma vulnerabilidade maior ao ato”, conta Ana Carolina.

Segundo a psiquiatra, existem alguns sinais que podemos observar quando o indivíduo está com intenção suicida. “A maioria das pessoas, antes de tentar tirar a própria vida, fala sobre isso com alguém e tem mudanças repentinas de hábitos e humor. Apesar de as mulheres tentarem mais o suicídio que os homens, são eles os que, majoritariamente, chegam às vias de fatos, pois utilizam meios mais agressivos e letais”, afirma Alucio.

“Estima-se que 50% das pessoas que suicidaram já haviam tentado anteriormente. Essa é uma questão de saúde pública grave. Demonstra o maior grau do sofrimento humano. É importante, cada vez mais, falarmos sobre esse tema, levarmos informação e, principalmente, solidariedade às pessoas”, finaliza a médica.

Fonte: Prelo Comunicação

Santuário de Romaria é o tema do quadro ‘Crônicas’

A fé é o sentimento que transforma a pequena Romaria, no Alto Paranaíba, em um das referências católicas do Brasil no mês de agosto. Centenas de milhares de fieis vão até a cidade celebrar Nossa Senhora da Abadia. A crônica de hoje é sobre o santuário que é lugar imponente, repleto de detalhes e é claro, cheio de fé.

Romeiros de Araxá viajam a pé para o Santuário de Nossa Senhora da Abadia em Romaria

Festa da santa faz com que fiéis cumpram promessas e agradeçam graças alcançadas.

MGTV mostra trajetória de fiéis para a cidade de Romaria pela BR-365

Para as pessoas que saem de Uberlândia são 90 quilômetros de caminhada. A BR- 365, principal via de acesso ao município, conta com pontos de apoio para que os romeiros consigam chegar à cidade. Este foi o último fim de semana antes do feriado de Nossa Senhora da Abadia.