Desde quando me mudei para Uberlândia em meados do ano de 2012, esse é um dos maiores questionamentos que faço, toda vez que converso com alguém ou paro para pensar sobre o mercado de trabalho uberlandense.
 
Não era para ser assim, visto que a cidade possui várias universidades, faculdades, institutos, escolas técnicas, ou seja, um mercado que possui mão-de-obra qualificada, um dos principais requisitos nas contratações, então porque essa discrepância, se comparado a salários de outras cidades com portes parecidos e até menores que Uberlândia?
 
Um dos primeiros motivos para os salários baixos, seria justamente relacionado ao exposto anteriormente: grande número de universidades e instituições de ensino , no qual as empresas por ter um menor custo divulga nesses locais vagas de estágio, pois assim terá em seu quadro funcionários que “custarão” menos e trará conhecimento acadêmico para a empresa. Geralmente, quando uma empresa seleciona um estagiário, prorroga seu contrato até ao máximo de dois anos, para aproveitá-lo o máximo possível.
 
Assim a empresa paga menos a um bom profissional que precisa se submeter a um estágio para adquirir experiência em um mercado que exige muito esse requisito, mas não dá oportunidades e assim fica a dúvida: como vou ter experiência se não me dão oportunidade?
 
Outra explicação para os salários serem baixos, seria a grande quantidade de postos de telemarketing existentes na cidade, onde duas grandes empresas diariamente abrem centenas de vagas, buscando pessoas sem experiência profissional, que já deixaram o mercado ou desejam até mesmo seu primeiro emprego, para trabalhar nos grandes projetos existentes que atendem o Brasil inteiro. 
 
Geralmente esse tipo de trabalho paga-se pouco e por isso acaba desvalorizando muitos profissionais que não irão adquirir experiência para outro trabalho a não ser para algum que seja similar, diminuindo assim a média salarial do mercado, por conter também várias vagas.
 
Um estudo acerca desse questionamento, com certeza renderia bons resultados, visto que a cidade de Uberlândia é um grande polo regional, a segunda cidade do estado de Minas Gerais em muitos termos, maior e mais desenvolvida até mesmo que algumas capitais de estados brasileiras, possui mão-de-obra qualificada e mesmo assim não proporciona um bom retorno financeiro aos seus trabalhadores. Assim deveriam ser verificados o porque desses fenômenos para garantir que melhores profissionais se mantenham na cidade e assim desenvolvam cada vez mais o mercado e fluxos de emprego do município.