Imagem do Google


‘Palavras de uma PROFESSORA aos POLICIAIS no Rio de Janeiro, durante “a guerra” entre policiais e professores: ‘Eu posso olhar nos olhos de vocês porque não preciso ter vergonha de nada! Eu fui professora de muitos de vocês, dos seus irmãos e dos seus filhos. Eu trabalho ao lado de suas mães e esposas, em escolas miseráveis, caindo aos pedaços… Eu tenho a cara e o coração limpos porque minhas mãos não estão sujas de sangue, minhas mãos estão sujas e calejadas de giz!’


Comovente e acima de tudo revoltante ver professores, aqueles que ainda podem ajudar na melhora desse país serem agredidos, humilhados por policiais ainda mais a pedido do prefeito e acima de tudo, apenas por estarem manifestando contra algo que é vergonhoso em nosso país: o salário dos professores. 
Os governantes falam em plano de carreiras para melhorar a vida da classe, mas na maioria das vezes, esses planos surgem mais como “propagandas políticas” e na verdade nem melhoram mesmo a vida dos professores, para os mais antigos, podem até prejudicar. 
Pelo que conheço e que sei, os professores desde quando me entendo por gente, lutam por melhorias, mas essas melhorias, não dizem apenas por dinheiro, mas por melhores condições de trabalho, pois não tem o merecido respeito e nem condições favoráveis. 
Quantos professores trabalham em escolas caindo aos pedaços e mesmo assim estão lá firmes e fortes exercendo seu ofício. Quantos lutam para tentar ensinar algo em seus alunos, mas são parados nas barreiras existentes, tais como reprovação que não existem e como os alunos sabem que não serão reprovados, só precisam de presença, vão sem interesse para a escola e atrapalham todo o plano do professor, além de atrapalhar os poucos dedicados. 
Essa história de reprovação zero, foi criada para além de formar pessoas sem conhecimentos adequados, aumentar o IDEB de municípios e estados, mas seria muito melhor ter o IDEB menor, mas crianças e cidadãos com conhecimentos apurados e que pelo menos respeitassem seus professores. 
Em minha opinião, esses planos de carreira para professores deveriam ser repensados com mais atenção e carinho. Além disso, o professor deveria ser mais valorizado, mais respeitado. 
Na França, por exemplo, o professor é tido como um Chefe de Estado. No Japão as pessoas se curvam para os professores e no Brasil os professores são agredidos e humilhados. 
Será que somos mesmo o país do futuro? Nosso passado e presente insiste em dizer que muitas mudanças ainda devem ocorrer.

Anúncios