A capital do Brasil, Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1960 e continua sendo uma das cidades mais belas e modernas do Brasil. Juscelino Kubistchek dizia que “deste Planalto Central, desta solidão em que breve se transformará em cerébro das mais altas decisões nacionais, lanço os olhos mais uma vez sobre o amanhã do meu país e antevejo esta alvorada, com uma fé inquebrantável e uma confiança sem limites no seu grande destino”.
Desde os tempos de Brasil Colônia, já se falava em construir uma nova capital, pois o Brasil tinha um imenso território e diversas nações européias foram atacando a costa brasileira constantemente desafiando assim a Coroa Portuguesa. Um exemplo disso, foram os diversos ataques que a primeira capital do Brasil, Salvador, recebeu de piratas ingleses e tomada pelos holandeses.
Aos poucos, a própria população brasileira começou a perceber que o Brasil estava “de costas” para o Brasil, pois era uma nação agrupada no litoral, lançando um olhar apenas para a Europa. Assim sendo, surgiram as primeiras defesas a favor da interiorização do país, com uma nova capital no interior onde também traria mais segurança contra ataques no litoral. 
Na Inconfidência Mineira em 1789, já se demonstrava também essa idéia, pois os planos eram transferir a capital brasileira para São João Del Rei. Na Assembléia Constituinte de 1823, José Bonifácio defendeu a construção de uma nova capital, para estimular assim a economia e o comércio e sugeriu dois nomes para a nova cidade que ele projetou no Planalto Central: Petropólis ou Brasília. O diplomata Francisco Adolfo de Varnhagem, também defendeu a mudança de capital e chegou a realizar estudos que concluíram que o Planalto Central seria o melhor lugar para se construir a nova capital. No ano de 1891, na elaboração da primeira constituição republicana foi aprovada a emenda do deputado catarinense Lauro Muller, que estabelecia a demarcação de uma área no Planalto Central de 14 mil quilômetros para a construção da nova capital da República. Esse foi o primeiro passo constitucional para a mudança.
Em 09/06/1892, 22 membros da missão Cruls partiram de trem com destino a Uberaba – MG para começar a demarcação da área da futura capital brasileira no Planalto Central. A partir de Uberaba, a expedição seguiu a cavalo e em mulas, passando por Catalão, Pirenopólis e Formosa. A missão formada por biólogos, botânicos, astrônomos, geólogos, médicos e militares percorreu mais de 4 mil quilômetros. Foram 7 meses de muitas caminhadas e trilhas descobrindo a imensidão do Planalto Central. Através de relatórios, o Brasil pôde assim conhecer em detalhes o clima, o solo, os recursos hídricos, minerais, a topografia, a fauna, a flora do Planalto Central.

 

“É inegável que até hoje o desenvolvimento do Brasil tem-se sobretudo localizado na estreita zona de seu extenso litoral, salvo, porém, em alguns dos seus Estados do sul, e que uma área imensa de seu território pouco ou nada tem se beneficiado com este desenvolvimento. Existe no interior do Brasil uma zona gozando de excelente clima com riquezas naturais, que só pedem braços para serem exploradas.”

 Após estudos e conclusões era preciso um presidente de visão e coragem para tornar aquele plano e sonho realidade. Isso foi feito pelo presidente Juscelino Kubistscheck. Em 02/10/1956 Juscelino posa no então estado de Góias para demarcar a construção de Brasília e ali presenciou e sentiu o verdadeiro desafio que estava a sua frente: levar desenvolvimento há um lugar que era longe de tudo, não tinha estradas e nem sequer eletricidade. Isso o motivou mais ainda.

Logo se espalhou a noticia pelo país e assim na poeira do cerrado surgia um herói anônimo, o candango, que passou ser a marca dos pioneiros que se engajaram na aventura de construir Brasília, pois a nova capital abria a chance de uma vida melhor. Em dezembro de 1956 eram apenas mil habitantes, em maio de 1958 já havia mais de trinta e cinco mil habitantes. Dia e noite, sol ou chuva, a construção de Brasília não parava.

Com projetos assinados por Oscar Niemeyer e planejamento de Lúcio Costa que planejaram uma cidade moderna, voltada para o futuro, mas ao mesmo tempo bucólica e urbana, lírica e funcional. Eliminou-se cruzamentos para que o tráfego de veículos fluissem mais livremente, concebeu prédios com gabarito uniforme e construído sobre pilotis para não impedir a circulação de pessoas. Uma cidade rodoviária com amplas avenidas e vasto horizonte, valorizando o paisagismo e os jardins.
O presidente Juscelino Kubitscheck vistoriava as obras pessoalmente. Partidos de oposição alegavam que Brasília não ficaria pronta no prazo e insistiam para que adiassem a transferência da capital. Vencend os prognósticos pessimistas da oposição, Brasília, foi inaugurada em 21 de abril de 1960 com toda pompa que a capital merecia.

Atualmente Brasilia é uma lindissima cidade espelho dos sonhos de um homem que um dia vislumbrou o futuro de olhos bem abertos.

Anúncios